www.thomasnilsson.com.br
Caminhos para liberdade e progresso
   
 
   
A PRECIOSIDADE DA NOSSA VIDA HUMANA
EDITAL COMPLETO - 31/01/2016

Muitas pessoas acreditam que o desenvolvimento material é o verdadeiro sentido da vida humana. Podemos ver que não importa quanto desenvolvimento material exista no mundo, ele nunca reduz o sofrimento e os problemas humanos. Em vez disso, ele frequentemente faz com que os sofrimentos e os problemas aumentem; portanto, ele não é o verdadeiro sentido da vida humana.
 

Devemos nos perguntar o que consideramos mais importante – o que desejamos pelo que nos dedicamos ou com o que sonhamos? Para algumas pessoas são as posses materiais, como uma casa grande com os últimos requintes de conforto, um carro veloz ou um emprego bem remunerado. Para outros é reputação, boa aparência, poder, excitação ou aventura. Muitos tentam encontrar o sentido de suas vidas em relacionamentos íntimas, sociais e familiares. Todas essas coisas e atividades podem nos fazer superficialmente felizes por pouco tempo, mas elas também causam muita preocupação e sofrimento. Elas nunca nos darão a verdadeira felicidade que todos nós, em nossos corações, buscamos. Já que não podemos levá-las conosco quando morrermos, se tivermos feito delas o principal sentido da nossa vida, elas com certeza vão nos decepcionar. As aquisições mundanas, tomadas como um fim em si mesmo são ocas: elas não são o verdadeiro sentido da vida humana.
 

Precisamos contemplar a nossa morte e meditar sobre ela repetidamente, até ganharmos uma profunda realização dela. Embora, num nível intelectual, todos nós saibamos que definitivamente iremos morrer, a nossa percepção da morte permanece superficial. Na medida em que a nossa compreensão intelectual da morte não toca os nossos corações, continuamos a acreditar todos os dias “eu não vou morrer hoje, eu não vou morrer hoje”. Podemos ou não morrer hoje – não sabemos. Com certeza, eu vou morrer. Não há nenhuma maneira de impedir que o meu corpo finalmente decaia. Dia após dia, momento após momento, a minha vida está se esvaindo. Eu não tenho nenhuma ideia de quando morrerei: a hora da morte é completamente incerta. Muitas pessoas jovens morrem antes de seus pais, algumas morrem no momento em que nascem – não há certezas neste mundo. Além disso, há muitas causas de morte prematura. As vidas de muitas pessoas fortes e saudáveis são destruídas em acidentes. Não há garantia de que eu não morrerei hoje.
 

Chegaremos assim à conclusão com a subsequente pergunta: “Já que terei que partir cedo deste mundo, não há sentido em ficar apegado às coisas desta vida. Em vez disso, a partir de agora devotarei toda a minha vida para…?  Procure a resposta ! Nossa vida humana é muito preciosa e significativa para ser desperdiçada em atividades sem sentido.

FONTE: Resumo e interpretação livre de texto de Geshe Kelsang Gytaso
Copyright © 2017 - Thomas Nilsson - Todos os direitos reservados - info@thomasnilsson.com.br
Visitantes: 11229 - Atualizado: 17-12-2017